Existe esse lugar na América do Sul que inspira todos os viajantes! Os amantes da natureza, os mochileiros e aventureiros, ou simplesmente quem ama conhecer todos os cantinhos do planeta. Estamos falando do Peru. O destino concentra história, cultura milenar, gastronomia deliciosa, um povo feliz e acolhedor, cores incríveis… São muitos os motivos para visitar Lima, CuscoMachu Picchu e outros muitos lugares incríveis do país. Nesse post, daremos um panorama geral sobre as principais atrações do país. Veja abaixo nossas dicas de viagem e saiba o que fazer no Peru.

Ah, e atenção: brasileiros não precisam de visto ou passaporte para entrar no Peru!


Dica amiga: tome cuidado com o mal de altitude


Alguns sofrem mais, outros menos. Mas é importante ter em mente que seu corpo irá reagir ao “sorochi”, o mal de altitude. Diversos dos locais mais turísticos do Peru - Cusco, Machu Picchu, Vale Sagrado, Huaraz, Titicaca, Arequipa - ficam bem acima do nível do mar; e é preciso estar preparado para a falta de oxigênio, especialmente nas primeiras 48 horas.

Cansaço, dor de cabeça, taquicardia, náuseas e vômitos estão entre os sintomas mais comuns. Por isso, o recomendado é pegar leve nos dois primeiros dias para deixar o corpo se acostumar. Ou seja, evite caminhadas muito longas e pesadas, e alimente-se bem. Há balas, chás e folhas de coca para ajudar a combater o mal de altitude.

Quando ir?


O território peruano é extenso e o clima pode variar de acordo com as cidades e regiões. Mas pode ter certeza que, com tanta variedade de atrações, em qualquer época do ano há bons motivos para curtir o país.  

A capital Lima pode ser visitada o ano todo. Mas se você pretende conhecer Cusco e Machu Picchu também, evite o verão (entre dezembro e março). É a época de chuvas na região. O ideal é privilegiar o período entre abril e setembro, durante o inverno, que promete noites mais frias, mas dias bonitos de céu azul. O mesmo vale para outros destinos da região de montanha, como Huaraz, Puno e o Lago Titicaca.



Já quem pretende viajar para a região costeira (locais como Icas e Ilhas Ballestas), que atrai especialmente os surfistas, prefira os meses entre dezembro e março, quando o clima estará quente e seco. Se você vai incluir no roteiro destinos como Chanchamayo, Tambopata, Manu e Iquitos - região da Amazônia Peruana, - vá durante a estação seca, entre abril e outubro.

Quanto tempo de viagem?




Para um roteiro de primeira viagem pelo Peru, que costuma envolver Lima, Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu, o ideal é reservar pelo menos 9 dias de viagem. Se quiser ir além do “clássico”, pelo menos 20 dias de viagem serão necessários. No Sul do Peru você encontra ótimos destinos, como Nazca, Arequipa, Valle del Colca, Puno e Ica. Já no norte, as principais paradas são Trujillo e Chiclayo.

Lima




Apesar de muita gente usar Lima como ponte para ir direto para Cusco, a capital peruana é uma parada indispensável. Especialmente para conhecer mais sobre a história do Peru - visite o Museu Larco! Um programa indispensável é o passeio pelo Centro histórico de Lima. O local é considerado Patrimônio Mundial da Unesco desde 1988. Entre as principais paradas por lá estão: a Praça de Armas, o Convento de São Francisco, o Palácio do Governo, a Catedral de Lima, o Palácio Arquiepiscopal e o Palácio Municipal.

Não deixe também de passear pelo bairro de Miraflores, ótimo ponto para hospedagem, inclusive. É lá que está o Parque del Amor, ótimo para curtir o pôr do sol com vista para o mar. Se não sabe o que fazer em Lima pela noite, aposte no bairro de Barranco ou nos arredores da Praça Kennedy. E se tiver tempo, conheça ainda os sítios arqueológicos de Lima: Huaca Pucllana, Huallamarca e Pachacámac.

A gastronomia peruana: um tópico à parte


Lima é a meca da gastronomia na América do Sul. Em 2017, a capital peruana foi eleita (apenas pelo sexto ano seguido rs), o melhor destino culinário do mundo pelo World Travel Awards, considerado o “Oscar do turismo”. No último ano, foi o Maido, do chef Mitsuharu Tsumura, que ganhou o primeiro lugar no ranking dos 50 Melhores Restaurantes da América Latina. Logo atrás dele, na segunda posição, está o Central, do chef Virgílio Martínez.



Outras sugestões são o El Mercado, o Tanta, o La Mar, o Panchita e o Huaca Pucllana. Não deixe de experimentar um bom ceviche e, claro, provar o pisco, drink típico do país.

Cusco


A antiga capital do império Inca é a cara do Peru e você corre o sério risco de nunca mais querer ir embora. Claro que a altitude mexe com a gente, mas é o contato com o povo e a cultura peruana que vão te balançar. Prepare seus olhos para curtir as cores incríveis de Cusco: seja no artesanato andino, na gastronomia peruana ou nas charmosas ruelas de paralelepípedo do centro histórico. Coloque na sua lista de atrações: o convento de Santo Domingo, o Museu Inka, a Catedral de Cusco e o Mercado de San Pedro.



No bairro de San Blas, aproveite as lojinhas de artesanato. Para continuar deliciando-se com a gastronomia peruana, saiba que é possível encontrar dois ótimos restaurantes do chef Gastón Acurio: o Chicha e o Papacho’s. Ah, e claro, Cusco é o principal ponto de partida para conhecer Machu Picchu e também outras ruínas e cidades do Vale Sagrado.

Vale Sagrado


Localizado nos arredores de Cusco, o Vale Sagrado dos Incas abrange diversas cidades históricas e sítios arqueológicos às margens do Rio Urubamba. Partindo de Cusco, diversos tours são oferecidos para conhecer a região. Os passeios quase sempre incluem as cidades de Pisac (famosa pelo artesanato), Urubamba, Olliantaytambo (única cidade inca habitada) e Chinchero.



Mas o Vale Sagrado também guarda outras regiões turísticas, como Moray (sítio arqueológico que serviu como “laboratório” agrícola para os incas) e as Salineras de Maras - simplesmente imperdível! Trata-se de um conjunto de salinas, construídas em vários níveis da montanha, formando pequenas piscinas, onde a água salgada da montanha evapora e o sal é depois coletado pelos trabalhadores da comunidade local.


Machu Picchu


É claro que Machu Picchu precisa entrar na sua lista de o que fazer no Peru. Localizado na Cidade de Águas Calientes, o sítio arqueológico foi eleito uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. E é um dos pontos turísticos mais procurados da América do Sul, cujo número de visitantes ultrapassa um milhão por ano. 



Mas atenção: para proteger a cidade histórica de Machu Picchu, o governo peruano anunciou algumas medidas devido à grande quantidade de turistas que visitam o local. Agora, os visitantes não poderão mais ficar na cidade o dia inteiro e terão que escolher entre dois horários de visitas, das 06h00 às 12h00, ou do 12h00 às 17h30.

Além de Machu Picchu


Tudo bem que Machu Picchu é a atracção turística mais procurada no Peru. Mas o destino ainda reserva muitas outros lugares incríveis. Indicamos as cidades de Huaraz e Trujillo para os viajantes que querem alongar o roteiro pelo Peru:

Huaraz e o Parque Nacional Huascarán




No norte do Peru, a cidade de Huaraz é o ponto de partida para diversas trilhas do Parque Nacional Huascarán, que promete paisagens inesquecíveis. São cerca de duas horas de viagem de Huaraz até a entrada do parque. Os amantes da natureza não podem deixar de incluir esse passeio no roteiro. Entre as principais paradas estão o Vale de Llaca, a Geleira Pastoruri, as Lagunas de  Llaganuco e a famosa Laguna 69. Para chegar na primeira leva-se cerca de 1h30 de caminhada entre fácil e média (a 4.500 metros de altitude, não se esqueça!) - com direito à incrível vista do Glaciar Ranrapalca. 



Já a Geleira Pastoruri exige mais preparo físico e está localizada no Nevado Pastoruri, uma das montanhas que compõem a bela Cordilheira Branca. A Laguna 69 é mais famosa atração do Parque e a fama se deve ao fato de ser uma lagoa glaciar (formada pelo degelo de neve das montanhas do entorno). É possível fazer os passeios por conta própria. Mas é recomendado contratar um tour, com um guia que poderá auxiliar com qualquer problema causado pela altitude.

Trujillo


Também no norte do país, a cidade colonial de Trujillo é a terceira maior cidade do Peru. O destino abriga incríveis ruínas, um centro super bem preservado e colorido; e ainda a praia de Huanchaco (a cerca de 10 minutos do centro histórico). A praia é point dos surfistas. E também uma das poucas onde ainda é possível conferir os tradicionais ‘caballitos’ de totora, embarcações construídas pelos nativos da região desde o período pré-colombiano.



Mesmo que você não seja fã do surfe, vale a visita - especialmente para curtir o pôr do sol. No caminho entre o centro e a praia você ainda encontra as ruínas da cidade de barro Chan Chan. Outros atrativos partindo de Trujillo são as ruínas dos templos do Sol e da Lua, conhecidos por “huacas”; e o complexo arqueológico El Brujo.

E aí, curtiu nossas dicas de o que fazer no Peru e está doido para embarcar? Veja as melhores ofertas de passagens aéreas no site do Voopter