O que fazer no Chile a partir de Santiago

Há 208 dias

Vocês já viajaram pra um lugar e tiveram vontade de ficar lá para sempre? Foi exatamente com essa sensação que eu me despedi do Chile. Fiquei lá durante 6 dias, que passaram tão rápido que deixaram aquele gostinho de quero mais. Desde o momento da minha chegada até o último dia eu fui extremamente bem recebida em todos os lugares que eu fui, no metrô, nos restaurantes, nos passeios, nas lojas, em tudo!

Além da receptividade incrível, outro fator que me chamou muita atenção foi a diversidade de atrativos do país. Antes de viajar, já tinha pesquisado sobre o destino, mas só quando cheguei lá que me dei conta do quanto o Chile é um lugar extraordinário. Quem gosta de entrar em contato com a natureza vai encontrar paisagens naturais deslumbrantes. Têm opções para todo gosto, desde montanhas até praias, pra curtir seja no sol ou na neve. E quem quer mais agito, vai adorar o ritmo de metrópole Santiago, com opções de lazer que vão garantir ótimas experiências, desde as gastronômicas até as culturais! Pensando nisso tudo, compartilho aqui um pouco sobre a minha viagem, contando as minhas dicas de o que fazer no Chile:

Quando é bom ir para Chile?


O Chile é um bom destino para qualquer época e estação, pois guarda muitas opções de lazer e atrações diferentes durante todo ano. Eu escolhi fazer essa viagem no mês de junho, quando é inverno, pois queria aproveitar a oportunidade de conhecer a neve. Se você pretende visitar as estações de esqui no Chile, aposte nos meses mais frios, que são junho, julho, agosto e setembro.

O que fazer no Chile? Visitar as vinícolas chilenas e beber bons vinhos


A lista do que fazer no Chile é longa. Mas vou focar aqui nos principais passeios pela capital e proximidades. O país é reconhecido mundialmente pelos seus vinhos, portanto, é imprescindível dedicar um dos dias para conhecer as famosas vinícolas chilenas e o processo de produção da bebida.



As principais vinícolas próximas a Santiago são: Concha y Toro, Cousiño Macul e Santa Carolina. É possível visitar as três por conta própria, indo até mesmo de metrô. Como não tinha tanto tempo, escolhi uma delas, a Concha y Toro. Para conhecer as vinícolas é necessário fazer um agendamento online pelo site; ou então chegar bem cedo para garantir o seu lugar, principalmente se você for optar por realizar a visitação com degustação de queijos inclusa. 

A locomoção no Chile é bem fácil, pois o metrô chega aos principais pontos turísticos, como o centro histórico, o centro artesanal Pueblito Los Dominicos, entre outros. Eu fiquei hospedada no bairro da Providencia, o que facilitou bastante o deslocamento. É um ponto bem próximo de tudo e atendido pela linha 1 do metrô, que possui conexão com todas as outras! Para ir na Concha y Toro, pegamos o metrô na estação Los Leones, descemos na Las Mercedes e depois seguimos de táxi por volta de 5 minutos até o destino final. 

O que fazer no Chile? Passear pelo centro histórico da cidade


O centro histórico de Santiago também não pode ficar do seu roteiro. Ele é uma mescla de tradição e modernidade, com um arquitetura um tanto quanto encantadora e um charme singular! Os principais pontos que chamam atenção dos turistas são o Palacio de la Moneda, a Catedral Metropolitana, o Museu Histórico Nacional e o Museu Chileno de Arte Precolombino.



E se você ama destinos com ares de Europa pode aproveitar o passeio para dar uma passadinha pelo Barrio Paris Londres, que fica bem próximo do centro histórico!


O que fazer no Chile? Ver Santiago de cima e admirar a Cordilheira dos Andes


A cidade é cercada pela imponente Cordilheira do Andes. Portanto, avistar as deslumbrantes montanhas do alto é obrigatório. Para isso, eu recomendo a visita ao Cerro San Cristóbal e ao Cerro de Santa Lucia. 

No Cerro San Cristóbal, a subida pode ser feita por meio do teleférico ou por um funicular. Ambos prometem lindas paisagens pelo trajeto. Já o Cerro de Santa Lucia, apesar de não ser tão alto quanto San Cristóbal, atrai os turistas por sua linda arquitetura no estilo neoclássico. É um lugar um tanto quanto agradável para passar um tempo e tirar umas fotos.


O que fazer no Chile (no inverno)? Brincar na neve


Se você vai entre junho e setembro não pode deixar de incluir no seu roteiro o Valle Nevado e o Farellones, atrações famosas para conhecer a neve, localizadas a cerca de uma hora da capital.

O Parque Farellones mais recomendado para aqueles que pretendem brincar na neve, mesmo. Lá tem opção de teleférico, tubing, tirolesa, esquibunda, entre outros. Já o Valle Nevado é mais voltado para esquiar e avistar a paisagem de um dos pontos mais altos do Chile.

Assim como eu, muitas pessoas ficam na dúvida sobre qual estação conhecer. Vai depender da sua intenção. Como não pretendíamos esquiar e nem fica nos parques, mas sim conhecer os locais, optei pelos dois! De manhã fomos para o Valle Nevado. Lá pegamos o veículo gratuito disponibilizado na porta da loja de aluguel de roupas de esqui para subir até o ponto mais alto para curtir a vista (o transporte pode ser feito também por meio de um passeio de gôndola). Pela tarde, descemos para o Farellones, onde almoçamos e passamos o resto do dia.


O que fazer no Chile? Conhecer paisagens deslumbrantes


Outra passeio famoso e imperdível no Chile é o Cajón del Maipo e Embalse El Yeso. Leva-se cerca de 1 hora para chegar a partir do centro de Santiago. Esse foi de longe um dos meus programas preferidos.

Embalse El Yeso é uma represa que se destaca pelas suas tonalidades azul turquesa e a sua paisagem ímpar, cercada pelas montanhas da Cordilheira - que no inverno ficam cobertas de neve. É uma experiência realmente única. 

Nós fomos para lá com um motorista particular, saímos bem cedinho e fomos os primeiros a chegar no local. Foi incrível ter a oportunidade de desbravar aquela imensidão sozinhos. Como chegamos cedo, sofremos um pouco com frio. O sol ainda não estava pegando o trajeto até a represa; e por ser cercada pelas montanhas, formava-se um corredor de ar com um vento congelante. Ou seja, é necessário ir protegido (até mais que para o Valle Nevado). Aos poucos, o sol e as pessoas foram chegando. Ficamos mais um tempo contemplando a paisagem e aproveitamos a oportunidade para fazer um piquenique degustando um bom vinho chileno acompanhado de queijos!



Dica amiga: não é recomendado fazer os passeios para Cajón del Maipo, Embalse El Yeso, Valle Nevado e Farellones por contra própria. Os caminhos podem ser perigosos para quem não conhece, com estradas estreitas. Portanto, se pretende ir para esses lugares, procure agências ou motoristas particulares.

O que fazer no Chile? Visitar Valparaíso e Viña del Mar.


Outro passeio que vale a pena incluir na sua viagem é Valparaíso e Viña Del Mar. Por serem cidades bem próximas e pequenas, dá para visitar as duas no mesmo dia! Apesar delas serem coladas uma na outra, elas são totalmente diferentes.

Valparaíso é uma cidade de porto, caracterizada pela sua arquitetura antiga, com casinhas coloridas, morros, ruas pequenas e muita arte de rua. Por lá vale a pena conhecer a casa do Pablo Neruda, o Museu La Sebastiana e subir até o Cerro Concepcion com o histórico Ascensor.



Já Viña Del Mar é conhecida como a "Cidade dos Jardins", por possuir belos parques e muitos quilômetros de praia. Lá vale a pena passar pelo Relógio das Flores, o Castelo Wulff e o famoso Cassino! Ah, e também aproveitar o passeio para ter boas experiências gastronômicas. Um restaurante bem famoso da região é o Castillo Del Mar, que chama atenção pela arquitetura clássica e pela bela vista para o Oceano Pacífico.

Onde comer no Chile? 


Um dos lugares mais famosos e um dos meus preferidos é o restaurante Giratório, localizado no 18º andar de um prédio, o que proporciona uma visão privilegiada em 360º graus da cidade e da Cordilheira do Andes.



Dica amiga: o preço da refeição costuma ser salgado. Porém, eles possuem uma opção mais econômica: “o menú del día”, servido durante o almoço. Essa alternativa inclui entrada, prato principal, sobremesa e bebida, por um valor de 15.800 pesos chilenos, correspondente a mais ou menos 80 reais! Vale muito a pena conhecer!



Além do Giratório, outra boa parada é o Mercado Central de Santiago, local ideal para provar uma tradicional centolla ou o côngrio. 

E aí, curtiu as dicas? Vai para o Chile? Para facilitar ainda mais a sua viagem, não se esqueça que para conhecer o país não é necessário passaporte. Você pode embarcar apenas a carteira de identidade original (RG), em bom estado e com foto recente! 

Esta oferta/dica foi escrita por Marianne Donner

Encontre as passagens mais baratas com o Voopter

Buscador

Compare as tarifas de companhias aéreas, de agências e sites de milhas

Buscar Passagens

Quando viajar?

Quando viajar pagando barato partindo do Rio de Janeiro?

Planejar viagem

Alertas

Não achou o preço da passagem que você queria? Crie um alerta!

Criar um alerta

Promoções e Dicas

Seja o primeiro a receber promoções e dicas de viagem.

Cadastre-se

Voopter Mobile

Baixe o nosso app, encontre passagens baratas e seja notificado com as melhores promoções