Dicas valiosas para evitar problemas na hora da imigração

Há 106 dias


Não tem jeito. Sempre que vamos para outro país é preciso passar pela imigração e, muitas vezes, esse momento não é nada agradável. Por mais que estejamos acostumados com as viagens internacionais, ainda sim dá um friozinho na barriga antes da conversa com o oficial da imigração. Viajando a trabalho durante muitos anos, eu já passei por diferentes tipos de oficiais: simpáticos (de bater papo sobre cerveja!), grosseiros, secos e questionadores (aqueles tipos que perguntam sobre tuuuudo para ter certeza que a gente não está mentindo).

Antes de mais nada é preciso manter a calma e apenas responder às perguntas que forem feitas. Se você não dominar o idioma local, um tradutor pode ser chamado para ajudar. Isso é muito comum e os grandes destinos turísticos estão preparados para tal situação.

É preciso passar pela imigração para, enfim, conseguir o carimbo de entrada nos países

Em março, a Agência de Fronteiras da União Europeia (Frontex) divulgou um relatório que revela o aumento de brasileiros impedidos de entrar em países europeus. Em comparação com 2017, os dados do último ano mostram um crescimento de 62% no número de brasileiros barrados nas fronteiras. Em 2018, pelo menos 4.984 brasileiros tiveram o sonho de conhecer algum país europeu interrompido ainda no aeroporto de destino. Com o aumento, o Brasil se tornou o sétimo país com maior número de cidadãos rejeitados.

De acordo com especialistas, as principais causas para a recusa de estrangeiros na fronteira são: a ausência de visto válido ou adequado e a incapacidade de provar condições de estada no país. Para evitar problemas, o Voopter separou uma lista de dicas que podem ser úteis na sua próxima viagem internacional.

Antes de embarcar para o exterior confira a necessidade de visto

• Antes de fechar sua viagem, confira se há necessidade de visto para o país de destino. O ideal é que você obtenha primeiro o visto e depois disso faça a reserva de hotéis, compra de passagens e seguro. Brasileiros a turismo não precisam de vistos para visitar Europa, México e países da América do Sul. Confira as informações disponibilizadas pelo Ministério das Relações Exteriores referentes à exigência de visto por outros países.

• Os vistos mudam de acordo com o tempo da viagem e objetivo. Se for aos Estados Unidos, por exemplo, existem algumas opções, sendo a mais comum o tipo B1/B2, de lazer e trabalho. Contudo, há outras diversas possibilidades, como jornalistas, que precisam de um visto específico para fazer coberturas nos EUA. Nos outros países funciona da mesma forma, há vistos para estudantes, para trabalho temporário… Se informe corretamente antes da viagem.

• Tenha em mente que visto no passaporte não é garantia para a entrada no país. O visto é só a permissão de embarque. No Brasil, para se ter uma ideia, a lei de imigração (nº 13.445/2017) diz que “o visto é o documento que dá a seu titular expectativa de ingresso em território nacional.”

• Verifique se seus documentos estão atualizados. Seu passaporte deve ter, pelo menos, mais de seis meses de validade a partir da data de embarque. No caso de países da América do Sul que aceitam RG como identificação, seu documento tem que ter sido emitido há menos de 10 anos.

Verifique se o país de destino exige alguma vacina

• Vacinas, não se esqueça delas! Pessoas que estão viajando com destino ou escala/conexão em países que exigem a vacinação precisam do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). O documento tem validade vitalícia. Portanto, se você já possui o mesmo, não é necessário solicitar um novo. E fique atento, a vacina contra a Febre Amarela deve ser tomada pelo menos 10 dias antes da viagem.

É cada vez maior o número de países que exigem o seguro viagem

• Existem alguns destinos que exigem o seguro viagem e só permitem a entrada do turista mediante comprovante de contratação. Esse é o caso dos países da União Europeia, que integram o Tratado de Schengen. Para entrar nesses países você precisará de seguro viagem internacional com assistência equivalente a 30 mil euros. Há ainda quatro países que não fazem parte da União Europeia, mas que aderiram o Tratado de Schengen e suas exigências: Islândia, Suíça, Noruega e Liechtenstein. Fora da Europa vários outros destinos já exigem o seguro. Pesquise antes de embarcar.

• O avião pousou e depois de horas de voo você finalmente está no destino escolhido para férias! Na fila da imigração geralmente placas informam que não é permitido fotografar ou usar o telefone. Vale agir naturalmente, mas sem alarde ou com gestos em excesso. Pode parecer que não, mas os oficiais nas cabines estão de olho em tudo e, às vezes, uma simples atitude, pode parecer suspeita para eles, gerando muitas perguntas na entrevista de entrada.

• É cada vez menos comum preencher formulários de imigração e alfândega. Antigamente isso era praxe, mas com a modernidade as fichas caíram em desuso. De qualquer forma é sempre bom ter na sua bolsa ou mochila uma caneta para usar se necessário.

• Antes de seguir para a cabine certifique-se que tenha em mãos documentos essenciais como passagens de volta, reserva de hotéis e seguro viagem. Tudo que comprove que sua intenção é apenas curtir uns dias no país de destino e depois retornar para sua casa. Cartões de crédito e algum dinheiro em cash também são importantes. Eles pode questionar, por exemplo, quanto você tem de grana para gastar na viagem. Em Portugal são requeridos no mínimo 40 euros por dia de permanência.

• Na maioria dos países apenas familiares podem ir juntos quando chamados pelos oficiais de imigração. Se você viaja com um amigo, terá que fazer a imigração de forma separada, um de cada vez. Responda, com calma, as perguntas que forem feitas. Elas geralmente começam com “Qual o objetivo da viagem?”. Basta apenas dizer se viaja a lazer ou trabalho. Depois questionam quantos dias você vai permanecer no país, onde vai ficar… entre outros detalhes.

• Caso considere necessário, o fiscal pode chamar você para uma conversa privada. O desespero pode bater, mas será preciso manter a calma mais do que nunca. Afinal, quem não deve, não teme. Responda novamente tudo que for questionado. É comum que eles repitam a mesma pergunta mais de uma vez para tentar “pegar” algum erro.

• Em síntese, é preciso ficar atento às regras de cada país, bem como aos acordos internacionais de imigração e, claro, se assegurar de possuir comprovação de tudo que for alegado no ato da entrada para evitar o constrangimento de ser barrado no destino.


Esta oferta/dica foi escrita por Natália Strucchi

Jornalista por formação, viajante por opção. E poder juntar as duas paixões numa profissão é a realização de um sonho. De Teresópolis (RJ) para mais de 20 países e centenas de cidades mundo a fora.... Toda essa andança me faz crer que viajar é muito bom, mas poder compartilhar toda esta experiência com outros viajantes é ainda muito melhor!

Viaje mais pelo Brasil e pelo mundo

Encontre as passagens mais baratas com o Voopter

Buscador

Compare as tarifas de companhias aéreas, de agências e sites de milhas

Buscar Passagens

Quando viajar?

Quando viajar pagando barato partindo do Rio de Janeiro?

Planejar viagem

Alertas

Não achou o preço da passagem que você queria? Crie um alerta!

Criar um alerta

Promoções e Dicas

Seja o primeiro a receber promoções e dicas de viagem.

Cadastre-se

Voopter Mobile

Baixe o nosso app, encontre passagens baratas e seja notificado com as melhores promoções