No dicionário, Turismo é a prática relacionada a viagens organizadas, GERALMENTE, para o lazer. Mas tem louco pra tudo, inclusive pessoas que viajam milhares de quilômetros para viverem experiências que só os mais corajosos teriam coragem de encarar.

Não acredita? Então que tal mergulhar com tubarões brancos no meio do litoral sul africano? Ou encarar a maior e mais assustadora montanha-russa do mundo? Acha pouco... então experimente navegar pelo Cabo Horn ou andar numa pista de automobilismo num carro a mais de 300 km por hora!

O que para alguns parece insanidade, para outros é diversão. E por isso resolvemos listar dez atrações turísticas para os corajosos. Se você já fez algumas dessas aventuras, conta pra gente. Se ainda não fez, tem coragem?

Mergulhar com tubarão (África do Sul)




Na cidade de Gansbaai, próxima à Cidade do Cabo, na África do Sul, fica o porto de onde saem diariamente os barcos em direção a alto mar. Seria mais um porto na litorânea África do Sul, mas boa parte dos barcos que saem dali vão ao encontro dos tubarões brancos. Considerado um dos maiores predadores dos oceanos, os tubarões brancos escolheram aquela parte do oceano para fazer de moradia. E os motivos são simples: naquela região tem uma grande concentração de focas e leões marinhos, os dois principais alimentos deste tubarão.

O encontro com o "bichinho", que mede em média de quatro a cinco metros, acontece no meio do oceano. Primeiro o barco tenta atrair o tubarão jogando carcaça e sangue de peixe na água. Quando então o tubarão vem, uma jaula é jogada dentro d'água onde os turistas podem ficar sem serem atacados. A água é turva e gelada, dando ainda mais suspense ao passeio. O guia do barco garante que nas poucas vezes que banhistas caíram do barco na água, os tubarões não atacaram. Mas por segurança é bom ficar sempre atento e segurando no ferro que margeia o barco.

Por ser uma atração em meio a natureza e sem hora marcada, não é sempre que o tubarão vem dar o ar da graça. Portanto, vá preparado para um plano B, como voltar no dia seguinte.

Há passeios similares saindo de Perth (Austrália) ou de Guadalupe (México).

Nadar com Crocodilos (Austrália)




Os crocodilos são os maiores e mais agressivos repteis do planeta. E entre todas as espécies de crocodilo no mundo, os maiores estão na Austrália. E é lá que você pode nadar com esses "bichinhos" que chegam a medir 5 metros. Na cidade de Darwin, bem ao norte do país, fica o parque Crocosaurus Cove, que oferece a atração “A Gaiola da Morte” (Cage of Death).

Apesar do sugestivo nome, não tem nada de mortal essa atração turística, porém a experiência é para os fortes! O exercício é bem parecido com o mergulho com tubarões na África do Sul. Até dois turistas entram em um cilindro de plástico que é suspenso sobre o lar de quatro crocodilos de água salgada, e depois mergulhado dentro da jaula dos animais.

E assim como os tubarões é difícil prever o humor dos crocodilos e o aviso é feito na hora da reserva. Você pode dar o azar do bicho estar sem fome ou sem vontade de interagir e não vai vê-lo tão próximo. Durante o período da seca, de maio a setembro, o comportamento deles pode ser afetado pela falta de apetite. As temperaturas mais altas (outubro e novembro) também podem diminuir a disposição deles, já que são animais de sangue frio.

Pular de Bung Jump (Macau)


Imagina a cena: seu corpo está relaxado, parado na posição vertical e você contemplando uma bela paisagem. Milésimos de segundos depois você se joga em queda livre até ser içado por uma corda elástica. Todo este processo dura menos de 10 segundos. Parece rápido, mas requer muuuuuuita dose de adrenalina e coragem. Muita coragem.

Existem vários bungee jumps no mundo, o maior fica em Macau e foi inaugurado em 2017. São ao todo 233 metros, mais ou menos a altura de um prédio de 78 andares. Localizado na Macau Tower, entrou no Guiness Book como o maior do mundo. E apesar de estar em um prédio, o sistema de cabo evita que você se choque com o prédio, garantindo 100% de segurança no salto. Ah, e a queda de 233 metros dura sete segundos. Parece rápido, né! Mas experimenta cair por sete segundos! :)

Trilha no Caminito del Rey (Espanha)




Imagina caminhar por uma trilha de 3,3 quilômetros. Fácil, né! Mas essa trilha é suspensa e fica num precipício. Qualquer passo em falso.... Essa é a trilha no Caminito del Rey, na Andaluzia, Espanha. Mas antes que você pense se tratar de um passeio perigoso, a gente desfaz essa ideia. Já foi considerada uma das trilhas mais perigosas do mundo, mas depois de alguns óbitos ela foi fechada. Alguns meses de reforma e muito investimento, ela foi reaberta e hoje é uma das mais procuradas atrações turísticas da região.

O Caminito fica a mais ou menos 1h da cidade de Málaga. O passeio precisa ser reservado e como não pode receber muita gente, é bom fazer a reserva com dois meses de antecedência. Feito isso, chegue com 30 minutos de antecedência ao horário agendado para o tour. O caminho é muito tranquilo, fácil e, principalmente, cenográfico. Porém quem tem medo de altura, é bom evitar já que em partes da trilha chega-se a 100 metros do solo.

Apesar da "curta" distância de 3,3 quilômetros, o passeio leva em torno de 2h a 2h30 contando as sucessivas paradas para fotos. No fim você precisa fazer todo o caminho pela parte plana, aí são mais 2 quilômetros de caminhada. Só que dessa vez sem altura ou trilha suspensa!

Parque Nacional de Canyonlands (Estados Unidos)




Se você assistiu ao filme 127 horas, com James Franco, já tem uma ideia do que te espera o Parque Nacional de Canyonlands, em Utah, nos Estados Unidos. Entre todos os parques nacionais dos Estados Unidos (e são mais de 100) esse é um dos que têm melhor vista. Portanto leve sua câmera!

Mas o que torna ele um destino corajoso não é o paisagismo. A região é conhecida pelo seu labirinto de pedra e pelos canyons que, vez ou outra, desabam. Mas se você não é James Franco nem quer se aventurar sozinho, não tem problema. Assim como quase todos os parques, esse tem estrutura completa para o turismo, incluindo guias que podem acompanhar você e seu grupo pelas paisagens mais incríveis. Este parque é ideal para viagens de motorhome, mas certifique-se de pegar um mapa na entrada do parque e evitar sustos.

Montanha-Russa Takabisha (Japão)


Uma montanha-russa já é motivo para tirar o fôlego. Agora encarar a Takabisha requer coragem nível máximo. Não à toa, ela detém o título de maior queda vertical do mundo. Estamos falando de 7 loopings e uma queda de 43 metros em uma inclinação que chega a incríveis 121º graus. Bizarro, né!

Com o Monte Fuji como cenário, a subida é lenta e contemplativa. Mas não se engane. Esse é único momento de calmaria. Após atingir o cume, vem a descida vertiginosa e a velocidade máxima, que pode chegar aos 160 Km/h.

A montanha-russa está no guiness book como a mais íngreme. E apesar da altura, ela está longe de ser a mais rápida. O título de montanha-russa mais veloz continua com a Formula Rossa, no parque da Ferrari em Dubai.

Edgewalk (Canadá)



Uma das cidades mais cosmopolitas do mundo, Toronto reúne todo tipo de gente, atração e variedade. E para enxergar essa mistura toda, nada melhor que subir até o topo da CN Tower, a 550 metros, e contemplar a panorâmica vista. Até aí tudo bem, sobe de elevador e fica numa área fechada, mas têm aqueles que vão além. Que exageram na coragem. Acima da torre do CN Tower fica Edgewalk, que eleva a um novo patamar qualquer torre de observação.

Nela você fica preso a uma corda e faz uma caminhada de 360 graus em torno da torre. Os mais corajosos se debruçam até a beira e ficam presos pela corda esticada sem terem onde se apoiar. É de tirar o fôlego!

A atração fica aberta de maio a outubro. Nos outros meses, por conta do rigoroso inverno e muito vento, fica fechada. Porém, a visitação à torre está aberta durante todos os meses do ano.

Piscina do Diabo (Zâmbia)




O nome é sugestivo. Localizada nas cataratas da Victoria Falls, entre a Zâmbia e Zimbábue, esta é uma das maiores cachoeiras do mundo. Quando o fluxo da água atinge um nível considerado, geralmente entre setembro e dezembro, formam-se piscinas naturais na beira da queda. A vista é espetacular, mas se você sofre de vertigem é bom nem chegar perto!

Em épocas de cheia, a cachoeira forma pequenas piscinas e os nadadores mais aventureiros podem nadar lá, em total segurança sempre tomando as devidas precauções. Os guias que te levam até atração são experientes e indicam até onde você pode ir, para que nada de errado aconteça. Além de guias eles também são bons fotógrafos e criativos. Portanto, use e abuse da generosidade dos guias para fazer bons e bonitos cliques.