Não é novidade que o Brasil é repleto de cenários naturais incríveis! E, se as suas férias dos sonhos são sinônimo de contato com a natureza, a Chapada dos Guimarães é o seu destino! Cachoeiras, cavernas, grutas, paredões de pedra, mirantes de tirar o fôlego e muito verde - o destino é tudo isso e muito mais! São tantos atrativos que fica até difícil escolher o que vai entrar no roteiro. Pensando em embarcar nessa viagem? Veja nossas dicas para aproveitar ainda mais esse paraíso! Saiba o que fazer na Chapada dos Guimarães, qual a melhor época, os principais atrativos e outras dicas!


Como chegar


O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães fica a cerca de 70 km de Cuiabá (Mato Grosso), e se estende por mais de 30.000 hectares. Pela proximidade com a capital do Estado e pelas estradas asfaltadas, a Chapada dos Guimarães é, entre as chapadas brasileiras, a que tem mais fácil acesso. Do aeroporto é possível chegar ao destino de carro, mas há também ônibus partindo da rodoviária.

Onde ficar


O mais comum é hospedar-se na cidade da Chapada dos Guimarães, a cerca de 11 km de distância da entrada do Parque. A infraestrutura da cidade é simples, mas atende muito bem aos viajantes. Perto da praça principal, você encontra lojinhas e restaurantes. O Parque tem entrada gratuita e é super bem estruturado - é possível chegar de carro a diversas atrações e cercas de proteção, pontes e plataformas facilitam o acesso.

Melhor época


O calor prevalece o ano inteiro. Mas o ideal é evitar os meses mais chuvosos - entre dezembro e março -, especialmente pela possibilidade de trombas d’água que interditam o acesso às cachoeiras. Mesmo com sol, não se esqueça de levar casaco, pois a noite é sempre fresca.

Quanto tempo ficar?


Para aproveitar os passeios com tranquilidade, o ideal é reservar um dia inteiro para as atrações que demandam mais tempo, como o Circuito das Cachoeiras, o Morro São Jerônimo e a Cidade de Pedras. Pelo acesso mais fácil, a cachoeira Véu da Noiva e o Mirante do Centro Geodésico podem ser combinados ou encaixados com algum outro programa. Para conhecer os principais atrativos, um feriado prolongado é uma ótima alternativa!

Preciso de guia?


Alguns dos passeios e atrações da Chapada dos Guimarães só podem ser realizados com a presença de um guia, por questões de segurança. Você pode encontrar um guia para acompanhá-lo no seu carro ou procurar uma agência para fechar um tour em grupo ou particular. Mas há ainda atrações que não necessitam de guia. Pesquise antes de ir! E fique de olho no horário de abertura e fechamento das atrações.

Veja as principais atrações para conhecer na Chapada dos Guimarães:


Cachoeira Véu da Noiva


Foto: Lucas Cembraneli

Com seus 86 metros de queda sob um paredão de arenito, a cachoeira é um dos principais cartões-postais do Parque. Seu visual é simplesmente incrível e o acesso é bem tranquilo. Por questões de segurança, seu poço não é liberado para banho. Mas do mirante você consegue apreciar toda sua beleza e garantir lindas fotos! Não é necessário o acompanhamento de guia.

Circuito das Cachoeiras


Esse é o passeio perfeito para quem adora refrescar-se nas águas. Trata-se de um percurso que abrange 6 cachoeiras: 7 de setembro, Pulo, Degraus, Prainha, Andorinhas e Independência.Todas, exceto a da Independência, são abertas para banho. E mais: entre as cachoeiras da Prainha e Andorinha, você encontra ainda duas ótimas piscinas naturais para relaxar.

São cerca de 6 km de trilha e a caminhada completa leva aproximadamente 5 horas. Por isso, é necessário reservar um dia inteiro para o passeio. E não se preocupe: depois do esforço, cada banho de cachoeira é recompensador! No fim do percurso você encontra a Casa de Pedra, caverna de arenito que no passado servia de abrigo para povos primitivos. Atenção: esse passeio só pode ser feito com guia!

Dica amiga: a trilha pela vegetação baixa do cerrado significa muito sol na cabeça. Não se esqueça de levar algo para proteger-se e passar protetor solar. Um lanchinho e uma garrafa de água também são obrigatórios!

Mirante do Centro Geodésico


Foto: Itatibamario

A 845 metros de altitude, o local garante uma vista deslumbrante de toda a região da Chapada dos Guimarães. O mirante leva esse nome pois é considerado o Centro Geodésico da América do Sul, ou seja, o ponto equidistante entre o Oceano Pacífico e Atlântico. Na verdade, diz-se que o lugar exato fica na cidade de Cuiabá, mas o mirante que tem mesmo a fama. Além da vista e do incrível pôr do sol, é lá que você garante a famosa foto que passa a sensação de estar pendurado numa pedra no alto do penhasco. A entrada é gratuita e não é necessário guia.

Morro São Jerônimo


Se você é fã de trilhas, a caminhada até o Morro São Jerônimo não pode faltar no seu roteiro. Mas prepare-se: são cerca de 16 km, com trechos de subida íngreme. Com mais de 800 metros de altitude, o morro é um dos pontos mais altos do Parque, o que é garantia de uma paisagem recompensadora no fim do passeio. É preciso guia para acompanhar! Reserve um dia inteiro para a caminhada, ok?

Cidade de Pedra




Outra parada obrigatória no roteiro pela Chapada dos Guimarães é a Cidade de Pedras. A paisagem formada pelos paredões gigantes de arenito, que chegam a 350 metros de altura, é simplesmente belíssima. O acesso não é dos mais fáceis e é obrigatório estar acompanhado de um guia especializado. São mais de 25 km de estrada de terra e o acesso só pode ser realizado com um veículo 4x4.

Caverna Aroe Jari e Gruta da Lagoa Azul


Foto: Maíra Arantes Leite Wick

A caverna do Aroe Jari é a maior gruta de arenito do Brasil, com 1,5km de extensão, trechos submersos e pinturas rupestres nas paredes. Ela não está localizada dentro do Parque Nacional, mas numa fazenda particular (Fazenda Água Fria) a cerca de 46 km da Chapada. Para fazer o passeio é preciso um guia especializado e paga-se a entrada. A caverna guarda ainda a bela Lagoa Azul. Infelizmente, é proibido nadar, mas as águas cristalinas são muito lindas, especialmente quando o sol entra pelas frestas da pedra.