Câmbio para viagem: dicas para comprar moeda estrangeira e enviar dinheiro para fora

Há 71 dias

Toda viagem requer planejamento financeiro. Mas uma viagem internacional pede ainda mais preparação, especialmente na hora de fazer o câmbio para a moeda estrangeira. O cenário político e econômico anda bem instável, o que pode afligir muitos viajantes que estão planejando embarcar para o exterior. Não tem jeito, não podemos controlar a cotação. Mas existem algumas dicas que podem te ajudar a fazer um melhor negócio com o seu dinheiro. Ou, pelo menos, fazer você correr menos riscos. Listamos algumas dicas para lidar com o câmbio para viagem e respondemos as principais dúvidas sobre o assunto! Olha só:


Entenda como funciona o câmbio




É muito comum a gente falar que vai “trocar” dinheiro quando vamos fazer o câmbio. Porém, não é bem isso que acontece. Na verdade, você vende uma moeda (no caso, o real) para comprar outra. Por isso que há sempre os preços de venda e de compra. Assim, a taxa de câmbio corresponde ao custo da moeda estrangeira em relação à nacional. Se dizemos que 1€ custa R$4, significa que a taxa de câmbio é de R$4 reais. Quando você vai comprar moeda estrangeira, o que importa é sempre o preço de venda. Lembre-se: você compra, a casa de câmbio vende.

Outro detalhe para prestar atenção é a diferença entre a cotação comercial e a de turismo. Cada uma delas diz respeito a um tipo de operação. A cotação comercial vale para contratos de importação, exportação, transferências financeiras… Quando falamos de viagens internacionais, a cotação de turismo é a que importa. E geralmente mais cara.


Quanto levar para a viagem?


É difícil saber ao certo. O ideal é tentar calcular, aproximadamente, os gastos que terá em dinheiro durante o seu roteiro. Por isso, pesquise com antecedência os custos de alimentação, passeios, hospedagem, transporte…


Com quanta antecedência comprar a moeda estrangeira?




De novo, é difícil prever se a moeda estará mais cara ou mais barata perto da viagem. Deixar o assunto para a última hora na esperança de uma cotação melhor pode ser arriscado. E já que não dá para escapar da flutuação do dólar (do euro, da libra…), a melhor estratégia é comprar a moeda aos poucos. Assim, pode ser que um dia você vá encontrar uma melhor taxa e na próxima compra nem tanto, mas no final a relação custo/benefício será melhor.


Onde comprar moeda estrangeira?


Antes de comprar moeda estrangeira para a sua viagem, pesquise e compare as cotações de diferentes casas de câmbio. Além de buscar a melhor cotação, não se esqueça de conferir se o local é confiável antes de fazer a operação. Dependendo do montante que for adquirir é possível fazer alguma negociação com a casa de câmbio. Se você viaja em grupo, converse com os amigos para comprarem moeda juntos na mesma casa. E se for precisar comprar moeda no exterior, pesquise as casas de câmbio próximas da sua hospedagem antes de embarcar; seja na internet ou pegando dicas com os amigos que já estiveram no destino.

Dica amiga: evite casas de câmbio dos aeroportos ou muito próximas de atrações turísticas, onde os preços praticados costumam ser mais altos. Se for preciso, na sua chegada, troque apenas o suficiente para transportar-se até onde está hospedado.



Vai viajar para um destino cuja moeda não é o dólar, a libra ou euro?


Além dessas principais moedas, grande parte das outras moedas estrangeiras são consideradas “fracas” no Brasil, pela baixa circulação. É o caso do dinheiro de lugares como México, Peru, Colômbia, Tailândia, Croácia, Rússia, África do Sul e etc. Ao embarcar para destinos de moeda mais fraca que a nossa, o melhor é comprar dólares americanos no Brasil e depois adquirir a moeda local no destino. Ainda que isso signifique um câmbio duplo (do real pro dólar e do dólar para a moeda local), costuma ser mais vantajoso. Pela baixa procura dessas moedas exóticas, a cotação não costuma ser favorável no Brasil. Já outras moedas fortes, como o dólar canadense, o franco-suíço e o australiano são mais facilmente encontradas e com boas cotações em algumas casas de câmbio brasileiras. Pesquise e compare sempre!



Atenção: a tática de comprar moeda aos poucos também vale para sua chegada ao destino, caso estejamos falando de um país cuja moeda estrangeira você não comprou no Brasil e embarcou com o dólar. Chegando no destino, vá trocando o dinheiro aos poucos, de acordo com os seus gastos na viagem.


Vale a pena levar Real para algum destino?


Como o real é uma moeda fraca e de pouco circulação lá fora, pode ser difícil não só conseguir uma boa cotação, como ainda nem ser possível fazer o câmbio. Por isso, quase sempre, o melhor é trocar os reais no Brasil (seja para a moeda forte do lugar ou para o dólar para fazer o câmbio novamente no país de destino). Mas há exceções, como alguns destinos na Argentina, Chile e Uruguai. Como esses são locais com grande circulação de brasileiros, é possível fazer um bom negócio levando reais. Mas atenção: isso só costuma valer para as cidades mais turísticas e/ou fronteiriças, como Buenos Aires, Montevidéu, Punta del Este, Colonia del Sacramento e Santiago do Chile. Em outros lugares e cidades menores (como Ushuaia, El Calafate, Atacama…) é melhor não arriscar. Na dúvida, lembre-se: o dólar é a moeda mais corrente e, portanto, mais fácil de fazer a operação em qualquer lugar.


Sobrou dinheiro da moeda local, o que faço?




Caso sobre muito dinheiro estrangeiro no fim da viagem, você pode sempre vendê-lo novamente para a casa de câmbio. Porém, é possível que você acabe tendo algum prejuízo na transação, caso a cotação de compra esteja menor (nesse caso, você vende e a casa de câmbio compra, então o que importa é o preço de compra).  Se sobrou alguma moeda exótica, não traga ela de volta para o Brasil. Faça o câmbio da moeda local para dólar ou euro (que depois podem ser mais facilmente vendidos por aqui).


Dica amiga para transferir dinheiro para o exterior: TransferWise


Você já ouviu falar no Transferwise? A ferramenta de transferência de dinheiro para o exterior é uma ótima alternativa para enviar valores com um melhor câmbio. Segundo eles, é possível economizar até 8x em comparação aos bancos. Para utilizá-lo você vai precisar de uma conta no país de destino (sua ou de alguém de confiança) para enviar o dinheiro. O processo pode ser feito via transferência bancária (TED) ou boleto. Dessa forma, você pode levar parte do dinheiro da sua viagem em espécie e transferir o resto para sacar no destino. Essa é também uma ótima alternativa para quando você está no exterior e precisa receber dinheiro de alguém que está em outro lugar.

É seguro? Eu recomendo muito! Posso dizer que sou fã do Transferwise. Ela é a ferramenta que uso desde o meu primeiro intercâmbio para enviar dinheiro do Brasil para fora. Se quiser entender melhor como funciona o serviço, vale assistir esse pequeno vídeo deles:


Veja também: Como levar dinheiro para o exterior: em espécie, cartão de crédito ou cartão pré-pago Travel Money?

Esta oferta/dica foi escrita por Julia Medina

Jornalista curiosa e apaixonada por conhecer novos lugares e planejar roteiros – para nem sempre segui-los. Espera ainda explorar muitos cantos do mundo e poder compartilhar suas dicas e experiências.

Encontre as passagens mais baratas com o Voopter

Buscador

Compare as tarifas de companhias aéreas, de agências e sites de milhas

Buscar Passagens

Quando viajar?

Quando viajar pagando barato partindo do Rio de Janeiro?

Planejar viagem

Alertas

Não achou o preço da passagem que você queria? Crie um alerta!

Criar um alerta

Promoções e Dicas

Seja o primeiro a receber promoções e dicas de viagem.

Cadastre-se

Voopter Mobile

Baixe o nosso app, encontre passagens baratas e seja notificado com as melhores promoções