Por uma sugestão da Organização Mundial de Saúde, Aruba, um dos destinos mais visitados no Caribe, é mais um país que começará a exigir certificado de vacina contra a febre amarela. A documentação será obrigatória a partir de 1º de março de 2018. Aruba é mais um país a exigir o visto de Febre Amarela. De acordo com a Anvisa, até o presente momento, 135 países pedem a documentação.

No Brasil, a vacina, que antes possuía a validade de 10 anos, agora é dose única! Gratuita e disponível nos postos de saúde do governo, deve ser tomada antes de visitar qualquer país que a exija a documentação. Países como Estados Unidos, Reino Unido e Portugal não exigem o porte do certificado. Ah! Se vai viajar e o seu voo faz conexão em algum país que exige o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), não se esqueça de providenciar, ok?

Confira todos os países que exigem a apresentação do Certificado


Afeganistão; África do Sul; Albânia; Angola; Antígua e Barbuda; Antilhas Holandesas; Arábia Saudita; Argélia; Argentina; Austrália; Bahamas; Bahrein; Bangladesh; Barbados; Belize; Benim; Bolívia; Botswana; Brunei; Burkina Faso; Burundi; Butão; Cabo Verde; Camarões; Camboja; Cazaquistão; Chade; China; Colômbia; Coreia do Norte; Costa do Marfim; Costa Rica; Cuba; Djibouti; Dominica; Egito; El Salvador; Equador; Eritreia; Etiópia; Fiji; Filipinas; Gabão; Gâmbia; Gana; Granada; Guadalupe; Guatemala; Guiana; Guiana Francesa; Guiné; Guiné Equatorial; Guiné-Bissau; Haiti; Honduras; Ilha do Natal; Ilha Norfolk; Ilhas Salomão; Índia; Indonésia; Irã; Iraque; Jamaica; Jordânia; Kiribati; Laos; Lesoto; Libéria; Líbia; Madagáscar; Malásia; Malawi; Maldivas; Mali; Malta; Martinica; Maurícia; Mauritânia; Mayotte; Moçambique; Myanmar; Namíbia; Nauru; Nepal; Nicarágua; Níger; Nigéria; Niue; Nova Caledónia; Omã; Panamá; Paquistão; Paraguai; Peru; Pitcairn; Polinésia Francesa; Quênia; Quirguistão; República Centro-Africana; República Democrática do Congo; República do Congo; Reunião; Ruanda; Samoa; Santa Helena; Santa Lúcia; São Bartolomeu; São Cristóvão e Nevis; São Martinho; São Tomé e Príncipe; São Vicente e Granadinas; Senegal; Serra Leoa; Seychelles; Singapura; Somália; Sri Lanka; Suazilândia; Sudão; Sudão do Sul; Suriname; Tailândia; Tanzânia; Timor-Leste; Togo; Trindade e Tobago; Tristão da Cunha; Uganda; Venezuela; Vietnã; Wallis e Futuna; Zâmbia; e Zimbabwe.

Como emitir meu CIVP?



  • A emissão é gratuita e pode ser feita nos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante da Anvisa, localizados em Portos, Aeroportos e Fronteiras. E também nas Unidades do SUS credenciadas e em clínicas particulares credenciadas.

  • Apresentar o cartão de vacina e documentos pessoais. São aceitos como documentos a Carteira de Identidade (RG), o Passaporte, a Carteira de Motorista válida (CNH), por exemplo. O Certidão de nascimento é aceito para menores de 18 anos.

  • É imprescindível a presença do viajante ou interessado. Como se trata de um documento de validade internacional, a autoridade sanitária deverá garantir que a assinatura constante do CIVP seja idêntica à do Passaporte ou à da Carteira de Identidade (RG).

  • No caso de criança ou menor de 18 anos, não é necessária a presença quando seus pais ou responsáveis solicitarem a emissão do seu CIVP. A assinatura da criança ou do adolescente menor de 18 anos não é obrigatória. No entanto, de acordo com a Anvisa, é recomendado que a criança ou o adolescente menor de 18 anos assine o certificado, no caso de necessidade de apresentar outros documentos com a sua assinatura no país de destino para evitar eventuais transtornos.