Com mais de sete mil quilômetros de praia pelo Brasil, não é exagero afirmar que hoje somos também o país do surfe. Com dois campeões mundiais (Gabriel Medina e Adriano de Souza) e mais de dez surfistas correndo na elite mundial de surfe, chegou a hora de sermos reconhecidos como país do surfe. E esse sucesso pode ser explicado pela diversidade e qualidade de ondas no nosso Brasil.

Hoje o Brasil conta com vários picos de surfe espalhados pelo nosso litoral, alguns com  ondas perfeitas. Um desses picos é a Praia de Itaúna, em Saquarema, considerado o "Maracanã do Surfe" e que neste mês de maio recebe a etapa brasileira de surfe. Nomes como Kelly Slater, Gabriel Medina, Filipinho Toledo, John John Florence, Adriano de Souza, Tati Webb e o atual líder do circuito, o potiguar Italo Ferreira, estarão na água.

Aproveitando essa etapa, apresentamos os melhores picos de surfe para você dropar sua onda perfeita. Pegue sua prancha, parafina e escolha onde dropar a onda dos sonhos! Boa leitura e aloha! :call_me_hand:

Fernando de Noronha (Pernambuco)




Começamos a lista com chave de ouro. Fernando de Noronha ganhou o sugestivo apelido de "hawaii brasileiro", só não se sabe se pela beleza, pelas ondas ou os dois. A verdade é que em Noronha as ondas quebram perfeitamente nos meses de maio, junho e julho. E quando o vento terral entra, o que se vê são tubos e mais tubos. As praias da Conceição e Cacimba do Padre lotam de surfistas, mas é possível pegar altas ondas em qualquer uma das "praias de fora" do arquipélago.

Praia de Maresias (São Sebastião-SP)


Quando o assunto é praia bonita e boas ondas, o litoral norte de São Paulo é abençoado. São Sebastião, Ubatuba, Caraguatatuba, Ilhabela e Bertioga têm praias perfeitas para todos os gostos e perfis, mas fica em São Sebastião o melhor pico de surfe da região. Casa de Gabriel Medina e dos irmãos Pupo, a Praia de Maresias tem ondas de tirar o fôlego. Não à toa é comum ver paulistanos descendo a serra durante a semana, ainda na madrugada, para surfarem algumas ondas antes de pegar estrada novamente em direção à capital para mais um dia de trabalho.

A praia é extensa e tem onda pra todo mundo. No "Canto da Moreira", bem no lado direito da praia, quebra altas ondas de direita com séries que chegam a 10 pés. O meio da praia é mais indicado para aqueles mais experientes e em dias clássicos rolam vários tubos. Já o canto esquerdo tem uma onda mais gorda, perfeita para quem está começando no esporte. É só escolher onde cair e ser feliz!

Imbituba (Santa Catarina)


Antes do Rio de Janeiro e Saquarema, era em Imbituba que eram realizadas as etapas do circuito mundial no Brasil. Localizada no litoral sul de Santa Catarina, a cidade chama atenção pela beleza natural. No verão fica repleta de turistas, já no inverno as praias recebem a visita de baleias. E, claro, também tem muita onda.

A praia mais famosa é Rosa, procurada por turistas de vários estados do Brasil e da América do Sul. A praia é dividida entre norte e sul e dos dois lados há boas ondas, mas elas dependem do vento terral. Já na Praia de Itapirubá Norte , quando entra o vento sul, é o endereço certo das melhores ondas. As outras praias da região também tem boa formação de ondas. Portanto, se você for pro Santa Catarina nesse pico você vai se divertir muito!

Rio de Janeiro




Ao invés de citarmos uma praia, decidimos selecionar toda a cidade do Rio de Janeiro (e arredores). Isso porque no Rio todo dia é dia de surfe, literalmente. Sejam ondas grandes ou não, sempre tem onda boa pra quem quer surfar. E no circuito de onda, começamos pelas praias da Zona Oeste. Barra da Tijuca, Reserva e Prainha têm ondas perfeitas, principalmente no inverno. Descendo pra Zona Sul chega a São Conrado, carinhosamente chamada de Tubolândia. Em dias de swell pesado essa praia pode ser, literalmente, um parque de diversões. Mas todo cuidado é pouco, só caem ali quem tem muita experiência. Portanto, é bom avaliar as condições antes de se arriscar.

Com uma combinação de frente fria + vento, o canto do Leblon e Arpoador também entram no hall de ondas perfeitas.  Com uma combinação ainda mais difícil, é possível encarar ondas gigantes na lage do Vidgal próximo ao hotel Sheraton, ou na Baia de Guanabara. No entanto, esses dois fenômenos são raros de acontecer

Saindo do Rio e cruzando a ponte chega-se a Niterói. A Praia de Itacoatiara é a melhor praia do Brasil para a prática de bodyboarder e em junho recebe uma etapa do circuito mundial. Lar de alguns importantes nomes do surfe, "Itacoa" tem ondas rápidas e surfando ali você está apto para surfar em qualquer praia do Rio.

Baia Formosa (Rio Grande do Norte)


Por conta dos ventos, a praia da Baia Formosa se tornou um dos melhores picos de surfe do Brasil para a prática do aéreo. E é dali que vem o potiguar Italo Ferreira, atualmente o número 1 do mundo na modalidade. As ondas não são grandes, mas elas correm rápido e fazem a alavanca necessária para a prática do aéreo, uma manobra bem valorizada e com grau de dificuldade elevado. Não costuma ter onda sempre, mas quando tem é certeza de diversão.

Itamambuca (Ubatuba-SP)


Entre as mais de cem praias de Ubatuba, Itamambuca talvez seja a mais famosa e também considerada a mais bonita. E é, sem dúvida, a melhor praia para surfe na cidade, que revelou Filipe Toledo, um dos maiores nomes da nova geração.

Palco dos mais importantes campeonatos de surfe, apresenta ondas regulares o ano inteiro. A água quente contribui para a prática do esporte. Por conta da posição geográfica é um mar excelente para quem deseja aprender a surfar já que as ondas, na maior parte do tempo, estão gordas. No entanto, quando o swell entra, aí a brincadeira fica séria e as ondas grandes aparecem.

Regência (Linhares-ES)


Em novembro de 2015, a lama de barragem da Samarco chegou ao mar do Espírito Santo e atingiu em cheio Regência, uma praias mais icônicas do Brasil para o surfe. Quatro meses depois um swell épico chegou com força na praia formando ondas incríveis. Os surfistas ignoraram o aviso de não entrar no mar e surfaram altas ondas. Quase três anos após a tragédia, a natureza já começa a dar sinais de força e a beleza do local, aos poucos, volta a reinar.

Nesse pico sempre rola onda, mas as clássicas, aquelas que qualquer surfista sonha surfar um dia, dependem de vários fatores. Mas quando todos os astros estão alinhados, o que se vê são ondas perfeitas, de tirar o fôlego. Entrar num desses tubos é uma sensação única, sair dele é um alivio!

Praia de Itaúna (Saquarema-RJ)


O "Maracanã do Surfe". Com essa apresentação já dá pra entender o quão importante é a Praia de Itaúna para o esporte. Descoberta para o surfe na década de 1960, a praia se tornou refúgio para os jovens que cultivavam um estilo alternativo de viver. Na década seguinte começou a sediar os primeiros campeonatos nacionais. Foi nessas ondas que surgiram nomes como Pepê, Rico de Souza e outros expoentes do esporte no Brasil.

Com fundo de terra e uma bancada oca, Itaúna costuma render boas ondas, principalmente quando o swell entra. Tem épocas do ano que as ondas são tão grandes quanto as do Hawaii. Toda essa qualidade foi e segue sendo valorizada. Tanto que Saquarema voltou, em 2017, a receber uma etapa do mundial e suas ondas foram elogiadas pelos principais surfistas. Ano passado quem levou o torneio foi Adriano de Souza, o Mineirinho.