Um destino que vai te surpreender. Essa é a melhor forma de definir a capital japonesa. A cidade com ares de modernidade consegue equilibrar o novo com o antigo, as gírias e cosplays com a tradição dos templos e da cultura milenar.  O Japão é um dos países da Ásia mais procurados como destino de viagem. Segundo a Organização Nacional de Turismo do Japão (JNTO) foram 28,69 milhões de turistas em 2017, destes, pouquíssimos oriundos do Brasil (50.885 vistos emitidos para brasileiros no último ano).

Decidir embarcar rumo à Ásia é sair do lugar comum e se entregar a uma viagem de descobertas a cada passo! Para completar, as estruturas turísticas são excelentes. O Aeroporto Internacional de Tóquio, por exemplo, foi eleito, agora em 2018, o terceiro melhor do mundo pela Skytrax World Airports. Se você está na dúvida, aqui vai meu conselho: encontre o melhor voo através do Voopter, reserve hotel e aproveite cada minuto de seus dias na “Terra do Sol Nascente”.


Mimicas são importantes


Apesar de serem super antenados, estudiosos e inteligentes (a taxa de analfabetismo no Japão é quase 0), não é fácil encontrar muitas pessoas falando inglês no dia a dia de Tóquio. O ideal é aproveitar e tirar todas as dúvidas na recepção do seu hotel. Anote o que precisar e saia precavido. Os japoneses são muito educados e atenciosos, se esforçam para ajudar. Não encontrei nenhum taxista, por exemplo, que falasse o idioma, meus percursos foram todos em absoluto silêncio e, algumas vezes, utilizei de uma técnica universal para me comunicar: mímicas!

Privadas: 8 ou 80




Não existe meio termo mesmo! Muitos lugares públicos em Tóquio ainda possuem a privada rente ao chão. Para quem não está acostumado, que é o nosso caso, ficar de cócoras é bem desconfortável e incomoda, além de exigir bastante força nas pernas. Então se está pensando em visitar a capital japonesa, já vale aumentar a série de pernas na academia! Em compensação, o Japão está cheio de privadas pra lá de modernas, começando pelo aeroporto. Se, ao desembarcar do avião, decidir ir ao banheiro irá perceber que as coisas são bem diferentes daqui. Você pode escolher no menu lateral se quer um jatinho de água quente ou fria, por exemplo, pode controlar a temperatura do assento e alguns modelos possuem até música! É bem engraçado. Não precisa ter pressa, vale testar cada símbolo e ainda rir da situação.

Máscaras em todo o lugar


Não se espante, os japoneses costumam usar aquelas máscaras cirúrgicas com frequência. Em qualquer lugar você vai se deparar com pessoas usando as benditas máscaras. Provavelmente dentro do avião, ainda a caminho de Tóquio, você deve ver algumas pessoas com elas. Isso me intrigou do início ao fim da viagem e, a cada conversa, eu questionava aos “novos amigos” o motivo de usarem as máscaras. Juro que como jornalista tentei apurar, mas não há uma única explicação. A maioria dos meus entrevistados me passou duas funcionalidades. A primeira seria proteção em caso de gripes e resfriados e a segunda uma precaução contra alergia que muitos deles desenvolvem, principalmente na primavera, por causa do pólen dos cedros (sugi) e ciprestes (hinoki).

Sashimi sem cream cheese




A gente precisa falar da comida japonesa. Os rodízios japoneses viraram febre no Brasil e quando alguém diz que não come a gente logo pensa “Oi?”. Pois bem, é claro que você vai comer peixe cru no Japão, mas não espere encontrar esses hots e adaptações que foram feitas por aqui. Vale ressaltar que lá come-se de tudo e, claro, o Mc Donalds também está espalhado pela cidade. Creio que tão popular quanto os sashimis são os noodles e o arroz, esses estão presentes o tempo todo na culinária, inclusive no café da manhã.

Deusa da Misericórdia




O Asakusa ou Sensoji pode ser considerado o principal cartão-postal de Tóquio, dedicado à deusa Kannon, da misericórdia. É um dos dez templos mais visitados do Japão e te deixa inebriado com um certo ar místico. A porta de entrada do templo, o Kaminarimon, tem uma das maiores e mais bonitas lanternas do país.  Ao chegar, pouco depois de andar alguns metros, pare no enorme caldeirão de incenso e siga o ritual de purificação sugerido, para isso, basta espalhar a fumaça pelo corpo. Ir a Tóquio e não passar por lá é um desperdício. Ele foi construído no ano 628 e ao seu redor o bairro mantém as tradições vivas até hoje. Entre os portões e o templo, fica a Nakamise-dori, movimentada rua cheia de lojinhas que fazem a alegria dos turistas. Aproveite para comprar as lembrancinhas para a família.

Taxistas, um capítulo à parte




Já que contei esse episódio, vale a pena falar dos taxistas japoneses. Eles se vestem com ternos, quepe na cabeça e usam luvas brancas. Sim, luvas! Os carros, de modelos não muito novos, mas muito confortáveis, possuem rendinha branca por cima do banco. Mais uma vez, a educação de todos eles merece destaque. E por falar em transporte, não é barato se locomover no Japão, então caso vá ficar muitos dias por lá, vale a pena se programar e ver a melhor opção, incluindo metrô. Outra coisa que chama a atenção pelas ruas é a quantidade de bicicletas, não chega ser como Amsterdã, na Holanda, mas elas estão presentes em todos os bairros e as calçadas possuem espaço reservado para estacioná-las.

Hachiko, a história que virou filme de Hollywood


Se você é daqueles que ama cachorros, então certamente já viu o filme “Sempre ao seu lado”, com Richard Gere. Ele conta a história real de fidelidade do cachorro Hachiko, que seguia seu dono todos os dias até a estação de trem e o esperava no fim da tarde, quando este retornava do trabalho. Um dia isso não acontece: o dono de Hachiko teve um ataque cardíaco fulminante. Aí, o inesperado acontece, o cão passa a aguardá-lo todos os dias, no mesmo horário, na estação por anos, até morrer. A história, que se passou na década de 1930, ocorreu em Tóquio e Hachiko ganhou uma estátua erguida em sua homenagem no bairro de Shibuya, um dos locais mais visitados pelos turistas que desembarcam na capital japonesa. Impossível não se emocionar.

Superlativos




Tóquio possui atrativos turísticos conhecidos pelas suas magnitudes. O primeiro deles é o maior cruzamento do mundo, que fica em Shibuya, numa esquina de arranha-céus. Ali, quando o semáforo do pedestre fica verde, centenas de pessoas atravessam a rua ao mesmo tempo. Outro ponto grandioso é a Tokyo Skytree, com 634 metros de altura, segunda maior estrutura do planeta depois do Burj Khalifa de Dubai nos Emirados. Utilizada por uma série de companhias de telecomunicação como rádios, serviços de internet e um consórcio de canais de televisão – incluindo a poderosa NHK –, ela tem plataformas de observação a 350 e 450 metros de altura.

Parques e pandas




Impossível falar de Tóquio e não lembrar das cerejeiras, elas fazem parte do panorama da cidade e realmente são ainda mais bonitas vistas pessoalmente! Se você curte natureza, então vale enfrentar os outros milhares de turistas que passam pelo Parque Ueno diariamente. Ele fica situado na área central de Tóquio e possui diferentes atrações dentro de seu perímetro, como museus, jardins e templos. E apesar de tantas opções, uma se destaca: o Ueno Zoo, que abriga vários animais, mas que conquista o público com sua família de pandas gigantes. Além do pai Ri-Ri e da mãe Shin-Shin, desde de dezembro de 2017 os visitantes podem ver também o filhote Xiang Xiang, que foi o primeiro filhote do zoológico a estrear em 29 anos. Uma verdadeira fofura!

Leilão de atuns




Quando a gente imagina um leilão logo nos vem em mente peças caras e obras de arte, mas nem sempre é assim. Em Tóquio há um leilão um pouco diferente, porém não menos valioso. O produto principal é o atum! O Tsukiji é um tentação para quem gosta de peixes. Eles ficam ali, expostos, basta escolher! Para acompanhar a disputa de lances é preciso madrugar e chegar lá antes das 5h. São distribuídas pouco mais de 100 senhas por dia, por ordem de chegada, mas se você é daqueles que não curte acordar tão cedo, vale visitar o Tsukiji depois das 9h e explorar toda a área exterior, com ruelas cheias de restaurantes especialistas em sushi e “frutos do mar”; casas de chá verde; lojas com equipamento de cozinha entre tantas outras opções. Certamente não há lugar melhor em Tóquio para saborear a comida japonesa do que ali, será o sashimi mais fresco da sua vida!